Todos morremos ontem junto com a Marisa: até quando?

Marisa é mais uma vítima

Mais uma mulher vítima da violência. Uma morte horrível, um choque na sociedade e elas continuam morrendo, sendo assassinadas de forma cruel. Até quando? Essa é a pergunta que todos fazemos? Por que usar de tanta violência?

Marisa se foi na noite de ontem em um crime que chocou todos os são-carlenses, uma morte dentro de uma farmácia, perto da Casa de Deus, ao lado da Igreja de São Nicolau e que levou o Padre Robson Caramano às redes sociais para dizer uma verdade: em São Carlos a violência contra as mulheres, infelizmente, tem saltado aos olhos

Crimes de mulheres apanhando, sendo humilhadas, estão corriqueiramente sendo registrados, sem contar aquelas que estão sofrendo caladas, apanham em silêncio, pois temem conhecer um destino semelhante ao de Marisa. Uma mãe, jovem, uma senhora bonita que hoje não está mais conosco por causa da violência de um homem que precisa enfrentar a justiça.

Nenhum ser humano tem o direito de tirar a vida do outro. Ninguém pode matar ninguém, mas é fato que as mulheres morrem mais de maneira violenta, elas são a ponta da cadeia da vida que mais sofre e as leis parece que não funcionam a favor delas, porque os homens, em sua maioria, se julgam deuses, donos de um feudo e que as mulheres são suas meras serviçais, mas é preciso dizer: ELAS NÃO SÃO!

As mulheres tem vida própria, seus próprios desejos, anseios, paixões e projetos. Elas tem o direito a levar a vida como melhor lhes convier porque não nasceram escravas de ninguém. As mulheres são livres, seres nascidos para brilhar da melhor forma possível. Mulher não é objeto, mulher não é empregada de homem, mulher não é obrigada a servir nenhum homem.

Hoje Dona Marisa é mais uma vítima, mais uma pessoa que deixa este mundo e o convívio de sua família por conta da nefasta violência. Quem é homem jamais saberá como deve ser difícil sair de casa sempre com medo de ser abordada por algum desconhecido na rua. Eu como homem e pai de uma menina fico pensando que isso ocorrerá no futuro com a minha filha e já entro em pânico.

A luta por uma sociedade justa e que respeite as mulheres é justamente para evitar que casos tristes como esse da morte de Dona Marisa sejam registrados novamente. As leis no Brasil precisam funcionar direito, os homens que praticam o feminicídio merecem a prisão perpétua, porque eu sou contra a pena de morte.

Estamos devastados, tristes, sem saber o que fazer, porque vemos que as mulheres estão desprotegidas na sociedade brasileira. Para muitos homens, elas são apenas umas quaisquer, quando, na verdade, são aquelas que levam muitas coisas nas costas para poder tocar uma casa e manter uma família em pé.

Parem de assassinar as mulheres, só parem! Mulheres merecem respeito e admiração. Chega de violência!

Renato Chimirri