Trabalhadora diz que foi perseguida no trajeto do emprego até o ponto de ônibus

Jovem pede cautela para companheiras que trabalham na região/Foto: Google

Uma jovem que trabalha na região da avenida Tancredo Neves (logo após o posto na subida da rotatória do Cristo no sentido da Vila Prado) contou ao São Carlos ao Rede que um homem a observou e depois a seguiu por volta das 22h30 da última quinta, 17. Ela disse que depois de sair do trabalho seguia seu caminho para pegar o transporte coletivo e que esse mesmo homem a observava durante alguns dias e que nesta noite o cidadão começou a apertar o passo atrás dela.

Por sorte, a jovem conseguiu ser escoltada por um motociclista que percebeu a situação e ficou andando ao lado da mesma para evitar que problemas maiores pudessem acontecer. Ela disse que esse caminho é o único que dispõe para pegar o ônibus que a leva para a casa e que a situação financeira nem sempre permite que vá embora por transporte via aplicativo, por isso, ela faz o alerta para as demais trabalhadoras da região possa ficar atentas para um possível ataque.

Ela contou que no dia da perseguição deu a sorte de chegar ao ponto bem na hora do coletivo e assim conseguir subir e se afastar do local. Entretanto, a trabalhadora recomenda que as mulheres, especialmente as que andam sozinhas nestas imediações tenham muita atenção e cuidado para não serem surpreendidas por potenciais perseguidores.