Trabalhadores da Electrolux passaram por momentos de tensão com possibilidade de demissões

O alto estoque de produtos do setor de linha branca como lavadoras e fogão foi um dos motivos que fez com que a Electrolux cogitasse a demissão de trabalhadores em sua planta que tem 2200 empregados em São Carlos, segundo consta, o número extraoficial de desligamentos poderia chega em 140. Para que não sabe, são considerados da linha branca os seguintes bens: refrigeradores, freezers verticais e horizontais, condicionadores de ar, lavadoras de louças, lavadoras de roupa, secadoras, fornos de micro-ondas.

Segundo o que a reportagem pode apurar, tudo que é produzido pela fábrica de São Carlos vai para o estoque da empresa que fica em Água Vermelha (distrito do município) e que foi preciso ocupar um novo espaço para guardar a produção da fábrica são-carlense antes de escoá-la para o mercado.

Os trabalhadores da Electrolux, hoje, começam a respirar aliviados, pois entendem que o risco de demissão passou graças à intervenção do Sindicato dos Metalúrgicos, pois uma proposta foi  construída em mesa de negociação, pelo sindicato e empresa, onde consta a implementação do LAY-OFF, que é a suspensão do contrato de trabalho, com estabilidade, benefícios e a PLR/2022.

Vale lembrar que o Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté em outra oportunidade, já utilizaram o LAY-OFF na Electrolux, para garantir os empregos.

Mesmo assim, o Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté convoca todas as trabalhadoras e trabalhadores na Electrolux, para a assembleia deliberativa que será realizada no dia 03 de abril, domingo, às 10 horas, no Clube de Campo, no Santa Felícia (Rua Luiz Procópio de Araújo Ferraz, nº 1001).