Trans Angela Lopes é agredida a marteladas, mas isso não a calará!

Angela foi agredida

Mais uma vez venho aqui escrever sobre a militante pela diversidade e igualdade entre as pessoas Angela Lopes. Ser humano forte, digno e honrado, Angela agora foi vítima, segundo registro de ocorrência na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de um maluco que a atacou com marteladas, isso mesmo, marteladas!

Esse ataque é simbólico a tudo o que vem acontecendo no Brasil nos últimos dias e mostra que Angela Lopes e outras militantes da causa precisam continuar fortes porque os tempos são duros e ficarão ainda mais difíceis para quem ousou pensar e viver de maneira diferente num país ainda tão preconceituoso e cheio de moralismo torpe como o Brasil.

Ela conta que foi agredida no domingo, 28, quando entrava na sua casa e precisou tomar 15 pontos na cabeça e 5 na nunca e que ainda sente dores terríveis e provavelmente precisará de atendimento médico e acompanhamento psicológico, afinal de contas sofrer um ataque deste tipo de maneira tão sorrateira mostra que precisamos nos precaver de todas as formas na sociedade atual, pois nós mesmos podemos ser vítimas de uma violência tão aterradora como a que vemos hoje.

Já fiz inúmeras reportagens sobre Angela Lopes, contei sua vida, suas coisas, sua forma de atuação e ela sempre foi uma pessoa muito digna, pois me atendeu com carinho, educação, respeito e atenção. Posso dizer sem medo de errar que Angela Lopes é uma das criaturas que Deus colocou no mundo para edificar os seres humanos porque tem luz para poder se relacionar com os outros.

Quem não aceita o que seu semelhante  é e não sabe compreender suas razões deverá olhar para dentro de si mesmo e passar a pensar no que está errado, afinal você odiar o outro por algo que ele é e você não, certamente, é uma doença grave que está lhe matando por dentro diariamente.

O seu próprio depoimento, publicado nas redes sociais, fere o coração de todos que são dignos e querem a paz. Confira:

Hoje fui violentamente agredida. Chegando em casa logo às 7h da manhã fui abordada por um indivíduo que me seguiu até em casa. Me desferiu vários golpes com um martelo. Tive sorte em ser socorrida por vizinhos. Estou muito abalada, com inúmeras escoriações e 15 pontos na cabeça.

Nunca achei que um dia eu pudesse ser vítima de um ato tão violento cuja motivação é a transfobia.

Tenho medo de dizer que isso foi um mal presságio neste dia tão simbólico. Estou assustada e ferida.

Fotos: Redes Sociais