Três dias de medo em São Carlos: tiroteio, assassinato e explosão de banco

Terror em São Carlos

As forças de segurança de São Carlos têm se desdobrado nos últimos dias para elucidar crimes e conter a onda de violência que se abateu sobre a cidade. A Polícia Militar, a Civil e a Guarda Municipal não estão poupando esforços para que o cidadão possa se sentir seguro, porém esses três dias que passaram marcaram o início de um dezembro com muita violência.

Na segunda-feira um homem foi baleado no Antenor Garcia no final da tarde. Seus algozes encapuzados estavam numa motocicleta, se aproximaram do mesmo, e dispararam. Ferida, a vítima conseguiu se deslocar até a uma casa e para pedir socorro. A vítima está na Santa Casa.

Na mesma segunda-feira, no início da noite, São Carlos viveu momentos de pânico no crime mais brutal dos últimos tempos. Em função de um desentendimento no trânsito, um homem matou a tiros o tatuador Marcos Tsnunami Gentil que tinha um estúdio na rua 7 de Setembro. A frieza com o que o crime foi cometido assustou e chocou a população.  O crime se deu na rua Cézar Ricome entre a Alexandrina e a Avenida São Carlos, ao lado do supermercado Jaú Serve da Rodoviária.

O autor está foragido, apesar de ter sua prisão temporária solicitada pela Polícia Civil. Até o fechamento deste texto, o homem ainda não tinha se apresentado. Mas a polícia continua à sua procura.

Na madrugada desta quarta, 5, a cidade viveu momentos de pânico. Dez homens armados com fuzis e roupas camufladas explodiram a agência da Caixa Econômica Federal que fica na rua Conde do Pinhal entre a São Joaquim e a Alexandrina no Centro de São Carlos. Segundo o apurado, os bandidos levaram objetos de penhor do banco, mas não conseguiram roubar dinheiro.

Um motorista de aplicativo ficou sob a mira do fuzil de um dos integrantes do bando, depois acabou liberado, mas teve que correr debaixo de balas. Um funcionário do hotel que fica ao lado do banco foi olhar para ver o que estava acontecendo e levou um tiro de raspão de fuzil. Hóspedes do hotel ouviram os disparos e as explosões, assim como os moradores da região. Uma mulher foi abordada na Alexandrina por um homem armado de fuzil que acabou liberando a mesma.

O banco teve suas vidraças frontais destruídas e está fechado, a rua Conde do Pinhal ficou interditada até a chegada da Polícia Federal para periciar a área que pertence à União. Os bandidos fugiram e a polícia tenta identifica-los via imagens de câmeras de segurança.

Em todos os casos, as polícias trabalham dia e noite para prender os responsáveis, contudo é preciso registrar que esse dezembro começou realmente complicado em São Carlos.

Tudo isso aconteceu de segunda até hoje, quarta, porém a semana ainda nem começou, o que os próximos dias nos reservam? Só o tempo irá dizer, esperamos que tenhamos paz…

Fotos: Maurício Duch e POP FM