[ÚLTIMA HORA] São Carlos permanece na Fase Amarela do Plano SP

Missas sem público

O governador João Doria anunciou em entrevista coletiva nesta sexta, 15, uma nova reclassificação do Plano SP definida por estudos do Centro de Contingência e Combate ao Coronavírus do Estado.

Segundo consta, sete regiões paulistas irão para a fase laranja. São elas: Araçatuba, Bauru, Franca, Piracicaba, Ribeirão Preto, Rio Preto, Taubaté. Já Marília entra em lockdown na fase vermelha.

A região de São Carlos permaneceu na fase amarela do Plano SP, assim como Araraquara. A região Metropolitana de SP, Barretos, São João da Boa Vista e Campinas também ficará na fase amarela.

Na última reclassificação, as únicas regiões na fase laranja, a segunda mais restritiva, eram as DRSs (Departamentos Regionais de Saúde) de Marília (62 cidades), Presidente Prudente (45 municípios), Registro (15 cidades) e Sorocaba (48 cidades). Todas as demais continuam na etapa amarela até o dia 5 de fevereiro, com possibilidade de regressão a qualquer momento caso os índices de progressão da pandemia e de capacidade de atendimento hospitalar piorem.

Restrições

As restrições de atividades tiveram grandes mudanças nesta reclassificação. Academias, salões de beleza, restaurantes, cinemas, teatros e parques estaduais passaram a poder funcionar na fase laranja. Todas as atividades liberadas podem funcionar por até oito horas diárias, e não mais apenas quatro, e a capacidade de público também sobe de 20% para 40%. Porém, todos os estabelecimentos devem encerrar o atendimento presencial às 20h. O consumo local em bares está totalmente proibido.

A fase amarela passou a permitir 40% de ocupação presencial para todas as atividades liberadas, incluindo parques estaduais, e expediente de até dez horas diárias. O atendimento presencial terá que ser encerrado às 22h em todos os setores. Nos bares, as portas devem fechar ao público mais cedo, às 20h. Atividades não essenciais que geram aglomeração, como festas, baladas e shows continuam proibidos.

Critérios de saúde

Por outro lado, os novos critérios de avaliação de indicadores de internações, ocupação de leitos e mortes por COVID-19 levou o Governo do Estado a endurecer a possibilidade de progressão de qualquer região novamente à fase verde, que permite a maioria das atividades não essenciais com menos restrições de horário e público. Cada região passa a precisar alcançar 30 internações por 100 mil habitantes e três mortes por cem mil habitantes nos últimos 14 dias, além de passar 28 dias seguidos na fase amarela antes de avançar.

Os critérios de saúde na fase laranja também ficam mais rígidos. O limite máximo da taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para COVID-19 passa de 75% para 70% em cada região. Também há mudanças nos indicadores de variação para casos, mortes e internações, com parâmetros para todas as fases do Plano São Paulo. Se a ocupação de UTIs superar 80%, poderá haver recuo para a fase vermelha, com fechamento de atividades. Veja o que pode funcionar nas fases laranja e amarela:

Confira o novo mapa: