Último episódio de “Em Cena – A Arte da Interpretação” foca no teatro brasileiro

Documentário no canal

O último episódio da série “Em Cena — A Arte da Interpretação”, de Jun Sakuma, estreia no Curta! discutindo as diferentes técnicas e escolas que contribuíram para a evolução das artes dramáticas brasileiras.

Por meio de depoimentos de profissionais do teatro, a série relembra grandes nomes dos palcos como Augusto Boal, criador do Teatro do Oprimido, e conta ainda com a participação de dois diretores que revolucionaram o teatro brasileiro: Amir Haddad e Zé Celso Martinez Corrêa.

O Curta! está com sinal aberto através do seu site até o fim de fevereiro, quando toda sua programação poderá ser assistida gratuitamente. A série “Em Cena — A Arte da Interpretação” também está no streaming através do Curta!On – Clube de Documentários, disponível no NOW — da Claro/NET — e na internet. A estreia do episódio é na Terça das Artes, 15 de fevereiro, às 23h.

Segunda da Música (MPB, Jazz, Soul, R&B) – 14/02

21h – “Zuza Homem de Jazz” (Documentário)
Qual é a influência do jazz na música brasileira? O filme traça um paralelo entre os dois universos através da história de Zuza Homem de Mello, partindo do olhar próximo e intimista do crítico que foi referência no jornalismo musical no Brasil. Revisitando seu passado como musicista até os dias de hoje, o documentário mostra sua paixão pela música, pelo som, por algo que resiste e se transforma através do tempo. Diretora: Janaina Dalri. Duração: 91 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 15 de fevereiro, terça-feira, às 01h e às 15h; 16 de fevereiro, quarta-feira, às 09h; 19 de fevereiro, sábado, às 22h20; 20 de fevereiro, domingo, às 14h10.

Terça das Artes (Visuais, Cênicas, Arquitetura e Design) – 15/02

23h – “Em Cena – A Arte da Interpretação” (Série) – Episódio 4
O quarto episódio investiga como as diferentes técnicas e escolas dramáticas contribuíram para a evolução da arte da interpretação como conhecemos hoje no Brasil. 

Direção: Jun Sakuma. Duração: 41 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 16 de fevereiro, quarta-feira, às 03h e às 17h; 17 de fevereiro, quinta-feira, às 11h; 18 de fevereiro, sábado; 18h35.

Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) – 16/02

22h30 – “Glauber, Claro” (Documentário)
“Glauber, Claro” refaz, quase meio século depois, os passos do cineasta Glauber Rocha em Roma, na Itália, onde ele esteve exilado na década de 1970. Esse mosaico é formado através de testemunhos de seus amigos e colaboradores e de visitas às locações romanas de seu penúltimo longa-metragem, “Claro” (1975). O documentário investiga a experiência de Rocha e de toda uma geração de artistas na Itália dos anos 70, abordando temas como os bastidores de “Claro” e a sua relevância histórica, o cinema underground, o neorrealismo, o Cinema Novo e a militância política nas artes. O resultado é um inevitável paralelo entre a Itália do século XX e do mundo de hoje, entre a utopia dos anos setenta e a distopia atual. 

Diretor: César Meneghetti. Duração: 80 min. Classificação: 14 anos. Horários alternativos: 17 de fevereiro, quinta-feira, às 2h30 e 16h30; 18 de fevereiro, sexta-feira, às 10h30; 19 de fevereiro, sábado, às 13h e 20 de fevereiro, domingo, às 21h.

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 17/02

20h35 – “Zélia – Memórias de Amor” (Documentário)
Aos 32 anos, Zélia Gattai compra sua primeira câmera fotográfica durante seu exílio em Paris e começa a registrar o mundo ao lado do seu companheiro, o escritor Jorge Amado. Aos 63 anos, escreve seu primeiro livro, “Anarquistas, Graças a Deus”. Sem querer pegar carona na fama do marido, Zélia opta por uma maneira particular de contar o que viu e viveu, criando uma literatura de forte cunho memorialístico. É com base nos seus livros de memória, no seu acervo de mais de 20 mil fotografias e em entrevistas que este documentário constrói um retrato intimista de Zélia Gattai, tendo como fio condutor a história de amor que viveu durante 56 anos com Jorge Amado, personagem principal de sua obra. 

Direção: Carla Laudari. Duração: 100 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 18 de fevereiro, sexta-feira, às 0h35 e às 14h35; 20 de fevereiro, domingo, às 15h55; 21 de fevereiro, segunda-feira, às 03h e às 08h35.

Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) – 18/02

23h – “Depressão, uma epidemia mundial?” (Documentário)
O documentário investiga a natureza global e o potencial epidêmico da depressão, de um ponto de vista social, desafiando a noção individual que se tem deste fenômeno. O filme busca reunir visões originais e inovadoras sobre o assunto a partir de depoimentos de sociólogos, filósofos, assistentes sociais e neuropsiquiatras, a fim de analisar o contexto que estaria criando um terreno fértil para a depressão. Através de uma viagem ao redor do mundo, cria-se a possibilidade de uma reflexão global sobre as características próprias de nossa era. 

Direção: Michele Dominici. Duração: 52 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 19 de fevereiro, sábado, às 03h; 20 de fevereiro, domingo, às 19h; 21 de fevereiro, segunda-feira, às 17h; 22 de fevereiro, terça-feira, 11h.

Sábado – 19/02

19h35 – “Incertezas Críticas” (Série) – Episódio: “Jacques Rancière”
Jacques Rancière é um dos filósofos mais importantes do mundo atual. Nascido na Argélia, vive e trabalha em Paris, onde deu um depoimento para esta série sobre seus trabalhos mais recentes. Ele traça um breve histórico da arte desde o século XVIII e fala sobre a relação entre arte, cinema e política. 

Diretor: Daniel Augusto. Duração: 26 min. Classificação: Livre. 

Domingo – 20/02

20h – “David Hockney — Tempo Recuperado” (Documentário)
Aos 84 anos, David Hockney é considerado um dos líderes da Pop Art e um dos artistas britânicos mais influentes dos séculos XX e XXI. É também um dos artistas mais valiosos do mundo. Sua obra “Retrato de um Artista (Piscina com Duas Figuras)”, vendida em 2018 por US$ 90,3 milhões, já deteve o recorde de obra mais cara de um artista vivo (foi desbancada por uma escultura de Jeff Koons, vendida por US$ 91 milhões, em 2019). Sua vida e obra estão no documentário “David Hockney — Tempo Recuperado”. Através de imagens, anedotas e detalhada análise pictórica, o filme destaca como o renomado pintor — que também é cenógrafo e fotógrafo — desafia classificações e permanece misterioso de muitas maneiras: um artista intenso, profundo e apaixonado. 

Direção: Michael Trabitzsch. Duração: 52 min. Classificação: Livre. 

Sobre o Grupo Curta!
O Grupo Curta! tem como missão a difusão de conteúdos audiovisuais relevantes nas áreas de artes e humanidades, sejam brasileiros ou estrangeiros, através da TV linear (canal CURTA!), de plataformas de streaming de operadoras de telecom e da internet. A curadoria de conteúdos é, portanto, o motor central do grupo e foi uma das que mais aprovaram projetos originais para financiamento da produção pelo Fundo Setorial do Audiovisual: já foram mais de 125 longas documentais e 872 episódios de 77 séries que chegam ao público em primeira mão através de suas janelas de exibição:O canal Curta!, linear, está presente nas residências de mais de 10 milhões de assinantes de TV paga e pode ser visto nos canais 556 da NET / Claro TV, 75 da Oi TV e 664 da Vivo Fibra, além de em operadoras associadas à NeoTV; 

Curta!On, o novo clube de documentários do Curta!, no NOW da Claro/NET, conta com mais de 450 filmes e episódios de séries documentais, organizadas  por temas de interesse como Música, Artes, MetaCinema, Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mitologia e Religião, Sociedade e Pensamento. Há também pastas especiais com novidades – que estreiam a cada mês –, conteúdos originais exclusivos, biografias, além de uma degustação para quem ainda não é assinante do serviço.

Tamanduá TV, plataforma marketplace aberta para qualquer internauta, já reúne mais de quatro mil conteúdos. O usuário pode alugar filmes e séries específicos ou assinar de forma econômica um dos pacotes que contêm conteúdos segmentados por área de interesse: CineBR, CineDocs, CineEuro, CurtaEducação (para professores e estudantes do Ensino Médio e Enem), MetaCinema (para aficcionados e estudantes de Cinema), entre outros.  Os pacotes CineBR, CineDocs e CineEuro são disponibilizados desde 2018 como serviço de valor agregado (SVA) para perto de oito milhões de assinantes de banda larga fixa (ISP) da operadora CLARO, sem custo adicional. As atividades do Grupo Curta! também promovem a geração de royalties para produtores audiovisuais independentes, com a exploração de seus direitos audiovisuais nas diferentes janelas de streaming. O pacotes Cines da Tamandua TV e do Curta!ON estão repassando anualmente mais de R$ 1,5 milhão de reais em royalties para os produtores dos conteúdos que difunde.