USP Filarmônica realiza concerto gratuito em São Carlos

Apresentação em SC

Apresentação acontece na próxima quarta-feira, 24 de novembro, às 20 horas, na Paróquia São Sebastião

Com o intuito de viabilizar o acesso à arte e às atividades de extensão universitária atreladas ao ensino e à pesquisa, a USP Filarmônica realiza concerto aberto e gratuito pela série Concertos USP, na próxima quarta-feira, 24 de novembro, às 20 horas, na Paróquia São Sebastião, em São Carlos.

A programação contempla novas versões para orquestra de cordas de música popular brasileira dos séculos XIX e XX, além de obras consagradas, como o Concerto em Ré maior para viola caipira de Vivaldi e a famosa Ária de Johann Sebastian Bach. Conta ainda, com apresentação de obra contemporânea, premiada na XXIII Bienal de Música Brasileira Contemporânea do Rio de Janeiro, de autoria do estudante e bolsista da USP Filarmônica, Lucas Pigari.

O concerto terá como solista o professor Gustavo Silveira Costa (viola caipira), contando ainda com a participação especial de Camila Santana (rabeca), ex-aluna de música da USP Ribeirão Preto, sob regência do professor e maestro Rubens Russomanno Ricciardi.

Entre as obras inéditas do programa constam ainda antigas modinhas mineiras do século XIX e a Valsa de Esquina nº 8 de Francisco Mignone, todas em novas versões para orquestra de cordas pelo maestro Rubens Russomanno Ricciardi, bem como canções populares brasileiras arranjadas por Villa-Lobos e orquestradas por Olivier Toni.

A entrada no concerto é livre e gratuita, não sendo necessário retirar ingressos antecipadamente. “Como sempre, nossos concertos são abertos a todos os interessados com entrada franca. Nosso intuito é viabilizar um amplo acesso à arte e à música de todos os tempos, com especial dedicação aos repertórios brasileiros desde o período colonial”, ressalta Rubens Russomanno Ricciardi, maestro da USP Filarmônica.

A série de concertos mensais foi retomada em outubro de 2021 e faz parte das comemorações dos 10 anos da USP Filarmônica – orquestra de estudantes de graduação bolsistas, sediada no Departamento de Música da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da USP (DM-FFCLRP), cujas atividades remontam ao início de 2011.

A USP Filarmônica realiza o concerto em parceria com o Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, o Grupo Coordenador das Atividades de Cultura e Extensão USP São Carlos e a Paróquia São Sebastião de São Carlos. O evento faz parte do calendário comemorativo dos 50 anos do ICMC, que conta com patrocínio exclusivo do Santander.

Quem desejar poderá doar alimentos não perecíveis à Paróquia São Sebastião, que serão encaminhados a famílias carentes da cidade. 

Texto: Assessoria de Comunicação da USP Filarmônica
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

USP FilarmônicaQuando: 24 de novembro, quarta-feira, às 20 horas
Onde: Paróquia São Sebastião (São Carlos)
Endereço: rua Av. Dr. Carlos Botelho, 2371 – Centro, São Carlos
Entrada livre e gratuita (não é preciso retirar ingressos antecipadamente)
Observação: quem tiver interesse pode doar alimentos não perecíveis 

PROGRAMA SEM INTERVALO

Johann Sebastian Bach (Eisenach, 1685 – Leipzig, 1750)
Aria da Suíte em Ré maior para orquestra de cordas com baixo contínuo

Antonio Vivaldi (Veneza, 1678 – Viena, 1741)
Concerto em Ré maior para viola caipira e orquestra de cordas com baixo contínuo
I – [Allegro]
II – Largo
III – Allegro

Lucas Pigari (*Mariápolis, 1991)
Prelúdio Noturno para orquestra de cordas – obra premiada na XXIII Bienal de Música Brasileira Contemporânea do Rio de Janeiro pela FUNARTE

Anônimo mineiro (primeira metade do século XIX)
Duas modinhas pradenses – introdução, harmonização e orquestração proliferada para orquestra de cordas por Rubens Russomanno Ricciardi (*Ribeirão Preto, 1964), de acordo com as pesquisas anteriores de Adhemar Campos Filho e George Olivier Toni, na Lira Ceciliana de Prados – primeira apresentação com público

Francisco Mignone (São Paulo, 1897 – Rio de Janeiro, 1986)
Valsa de esquina nº 8 – introdução, harmonização e orquestração proliferada para orquestra de cordas por Rubens Russomanno Ricciardi – primeira apresentação com público

Anônimos brasileiros, canções populares com arranjos de Heitor Villa-Lobos (Rio de Janeiro, 1887-1959) e transcrições para orquestra de cordas por George Olivier Toni (São Paulo, 1926-2017)
I) Rosa Amarela
II) O bastão
III) Estrela é lua nova