Valor médio da gasolina chega a R$ 7,471 após anúncio de reajuste feito pela Petrobrás

Preço menor /Foto: Marcello Casal Jr

Após o anúncio de reajuste no preço do combustível, realizado pela Petrobrás e que entrou em vigor na última sexta-feira (11), o valor do litro da gasolina registrou alta de 8,14%, se comparado com os dez primeiros dias de março. Entre os dias 11 e 13 de março, a média nacional chegou a R$ 7,471, enquanto no início do mês o preço médio foi de R$ 6,909. As informações constam em levantamento exclusivo feito pela ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas.  

Obtidos por meio do registro das transações realizadas entre os dias 1º e 13 de março com o cartão de abastecimento da ValeCard em mais de 25 mil estabelecimentos credenciados, os dados revelam que o único estado brasileiro a registrar queda na média do preço da gasolina após o anúncio de reajuste foi Acre (-9,21%). Entre os estados que mais subiram, estão Rio Grande do Norte (12,95%), Ceará (12,49%) e Paraná (11,62%). 

Entre as capitais, o valor médio do combustível foi de R$ 7,446. Natal (R$ 7,945) e Belém (R$ 7,848) apresentaram os maiores preços entre os dias 11 e 13 de março. Já os menores valores médios foram encontrados em Maceió (R$ 6,674) e Macapá (R$ 6,690).  

Alta da gasolina faz etanol ser vantajoso novamente em SP e outros três Estados  

Com a alta da gasolina, o etanol passou a ser mais vantajoso nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. O preço médio do etanol no País, na primeira quinzena de março, foi de R$ 4,676. O combustível teve uma queda de 1,20% em relação a fevereiro, quando chegou a R$ 4,733.  

Nos demais estados brasileiros, a gasolina ainda segue sendo mais vantajosa para se abastecer o veículo do que o álcool em quase todos os Estados.  

O método utilizado nesta análise, descontando fatores como autonomias individuais de cada veículo, é de que, para compensar completar o tanque com etanol, o valor do litro deve ser inferior a 70% do preço da gasolina.