Vereador demonstra pesar por morte de desembargador ocorrida em São Carlos

O desembargador José Araldo Costa Telles (1954-2022), falecido neste domingo em São Carlos

O vereador Marquinho Amaral apresentou na Câmara Municipal uma moção de pesar pelo falecimento do desembargador José Araldo da Costa Telles, ocorrido no último domingo (6) em São Carlos, aos 67 anos. No documento, Marquinho lamenta a “perda enorme para a magistratura”, destacando que Costa Telles “além de ser uma pessoa formidável, muito amável e gentil, bastante conhecido e querido por muitos, um homem digno, de caráter ilibado que cumpriu sua trajetória com honras e méritos”.  O parlamentar manifesta condolências e solidariedade aos familiares.  O desembargador deixou a esposa Cristiane Chabariberi da Costa Telles, cinco filhas e netas.

José Araldo da Costa Telles – que foi sepultado no cemitério Jardim da Paz, em São Carlos – integrava a 10ª Câmara de Direito Privado e, no momento, a 2ª Reservada de Direito Empresarial. Foi também  professor na Escola Paulista da Magistratura (EPM), professor e Coordenador do Curso de Direito da antiga FADISC, e docente do curso de Direito da UNICEP em São Carlos.

Nascido em Rio Claro e formado pela Universidade de São Paulo em 1976, o desembargador ingressou na Magistratura paulista em 1979, como juiz substituto na Circunscrição Judiciária com sede em Presidente Prudente. Em 1980 foi removido para a 33ª CJ, com sede em Jaú. Fez a 1ª entrância na Comarca de Altinópolis; a 2ª em Assis e a 3ª em São Paulo, Americana e Rio Claro. Foi removido para o cargo de juiz auxiliar da Capital em 1990, onde atuou na entrância especial. Em 1999, por merecimento, foi promovido para o 2º Tribunal de Alçada Civil (2º TAC) e, em 2000, removido para o 1º Tribunal de Alçada Civil (1º TAC). Em 2005, foi empossado no cargo de desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo.