Vitória da Chapa 2 na UFSCar é um recado para atual gestão

A vitória na pesquisa eleitoral da chapa encabeçada pelo Professor Titular do Departamento de Física, Adilson Jesus Aparecido de Oliveira, ocorrida ontem na UFSCar é um sinal claro para a atual gestão: faltou para esse mandato chegar mais perto da comunidade acadêmica e isso inclui os servidores, os estudantes, bem como os docentes que atuam nos campi da universidade.

A UFSCar sempre foi um local de pensamento de vanguarda em São Carlos e no Brasil e a derrota da Chapa 3 que era encabeçada pela atual reitora Wanda Hoffmann não deve ser encarada como uma vitória de A, B ou C, mas sim como um triunfo normal da alternância de poder que é comum às democracias e que hoje tem sido tão atacada no Brasil.

O grupo da professora Wanda teve seu período para realizar o trabalho a que se propôs, enfrentou oposição, como os demais reitores também tiveram, porém o que se observa é justamente isso, essa gestão talvez não tenha sabido dialogar com a eficiência necessária com a comunidade universitária e assim expor o que pretendia para as pessoas que fazem a UFSCar ser a gigante que é em diversas áreas.

O mais interessante em tudo isso é que o grupo liderado pela professor Adilson tem pessoas que estiveram na direção da universidade por anos e agora (caso acendam ao poder se forem nomeados, pois isso não depende apenas da eleição, mas sim de uma escolha do poder executivo) terão uma responsabilidade gigante em seus ombros. Eles terão que fazer mais e melhor que atual reitora e ainda por cima serão obrigados a conviver com um governo nitidamente não alinhado com seus pensamentos. A tarefa não será fácil e isso pode representar uma armadilha para aqueles que hoje comemoram a vitória na pesquisa eleitoral promovida entre a comunidade acadêmica.

É interessante observar que a eleição na UFSCar em termos de campanha política foi bem disputada, todos usaram daquilo que dispunham para tentar chegar ao eleitor com suas propostas, porém 712 votos de docentes, 470 votos dos técnicos-administrativos e 6387 dos estudantes, o que confere um percentual de 66,6%, demonstraram que a chapa 2 foi a que mais se aproximou e apresentou o que pretende fazer para o eleitor da universidade.

O resultado é claro para o grupo da professora Wanda Hoffmann: comunicação acertada e com equipe competente nestes tempos é tudo.

Viva à democracia, viva às urnas e viva à UFSCar!

 

Renato Chimirri