Volta às aulas: Sindspam fiscaliza e encontra escolas municipais em situação precária

Escolas precisam de mautenção

Diretores do Sindicato dos Servidores Públicos e Autárquicos Municipais de São Carlos (SINDSPAM) realizaram nesta semana uma fiscalização em todas as Escolas Municipais de Ensino Fundamental da cidade (EMEBs), para verificar a estrutura e a segurança dos prédios, equipamentos de proteção individual e de higiene e também a quantidade de servidores que já foram vacinados contra a COVID-19. Estas unidades terão suas aulas presenciais retomadas no próximo dia 30 de agosto. Nesta primeira etapa da fiscalização foram vistoriados 10 EMEBs, a Escola Municipal de Educação de Jovens e Adultos (Emeja) e uma CEMEI. Ao todo cerca mais de 6 mil alunos estão matriculados nestas escolas.

A fiscalização do SINDSPAM verificou que a maioria das escolas precisa urgentemente de manutenção e adequação de espaços para poder receber os alunos e evitar a disseminação do coronavírus.

Em cinco delas foi constatado que nem as janelas das salas de aulas abrem na sua totalidade evitando circulação de ar. Em nenhuma delas foram encontradas demarcações de distanciamento. Foi constatado ainda, a falta de dispensadores de álcool em gel ou quantidade muito baixa e o número insuficiente de funcionários para a limpeza destes ambientes.

Mesmo com as aulas voltando com cerca de 30% da capacidade dos alunos, verifica-se que ainda não tem profissionais suficientes para a limpeza das escolas municipais o que é de extrema preocupação.

Porém o que mais preocupou os sindicalistas foi o número de servidores que estão imunizados com as duas doses da vacina contra COVID-19, dos 607 profissionais que compõem as doze unidades visitadas, apenas 258 haviam recebido as duas doses da vacina o que deixa ainda mais evidente que as unidades escolares não tem condição de receber alunos neste momento.

Para os sindicalistas a situação de muitas unidades vistoriadas é “precária” já que pelo que foi constado, neste período em que os prédios ficaram fechados por conta da pandemia, nenhum tipo de manutenção foi realizado. Além disso, em algumas unidades ocorreram furtos de equipamentos que não foram repostos até o momento.

O SINDPAM encaminhará um ofício para a Secretária Municipal da Educação para que se resolvam os problemas verificados durante a fiscalização. Caso não obtenha resposta o Ministério Público do Trabalho será comunicado das irregularidades. As vistorias continuarão sendo realizadas nos próximos dias nas outras unidades escolares da Prefeitura Municipal, contemplando agora as unidades de educação infantil de 0 a 6 anos de idade. Todas as informações e relatórios serão enviados com fotos comprovatórias feitas durante as visitas.