Ayrton Senna costumava frequentar São Carlos e a Represa do Broa

Ayrton Senna em ação na Represa do Broa

Por Cirilo Braga

Não tem jeito de ser diferente: todo 1º. de Maio, a gente se recorda de Ayrton Senna, o tricampeão de F-1 que faleceu tragicamente nesse dia há 28 anos, depois de proporcionar muitas alegrias a nós brasileiros nas manhãs de domingo em que estivemos com ele na bandeira que agitava no cockpit a cada vitória.

Senna em pessoa, costumava frequentar a represa do Broa e vinha a São Carlos entre 1986 e 1987, quando despontava como um gigante do automobilismo mundial. Adriane Yamin, então sua namorada, fala com saudade do período em seu livro de memórias “Minha Garota”. Filha de Amilcar Yamin, fundador da fabricante das Duchas Corona, Adriane acompanhava Ayrton Senna na casa de veraneio da família Abdelnur, dona das Toalhas São Carlos. “Muitas histórias aconteceram por aí”, me contou ela numa conversa pela rede social.

Eduardo Abdelnur, falecido em 2010, era casado com Lenise, a irmã mais velha de Adriane. Na Represa do Broa, Senna praticava slalom, andava de lancha e de jet ski e muitas vezes vinha a São Carlos. Nessas ocasiões, incluía uma pizza na Amici em seu roteiro, como me contou Rogério Abdelnur, que o acompanhava nessas ocasiões e nas pilotagens na estrada, testando um Volkswagen Gol GT e um Ford Escort XR 3. Todos concordavam: Senna era mesmo “Simply The Best”, como diz a canção de Tina Turner que ele próprio gostava de cantar.

No dia 21 de março deste ano, quando o inesquecível piloto faria 62 anos, o artista digital Hidreley Dião usou recursos de inteligência artificial para simular como Ayrton Senna estaria hoje. A imagem impressiona.

Nas fotos, Ayrton Senna na Represa do Lobo (Broa) na propriedade da família Abdelnur e a projeção de como seria sua face em 2022 (Ele tinha 34 anos quando morreu no acidente em Imola, Itália, em 1/5/1994).

Ayrton Senna frequentava São Carlos