Homem diz que viu “lobisomem” em estrada rural de São Carlos

João Luiz tem 60 anos e por 35 trabalhou na parte de manutenção elétrica de uma indústria importante da capital paulista. Buscando uma vida mais tranquila, João contou que cansou de SP e resolveu voltar para a sua terra natal: São Carlos.

Para ajudar a manter a renda da família, pois tem três filhos e um deles ainda apenas estuda, João voltou a fazer manutenção elétrica, mas de maneira particular. Num desses serviços, João se aventurou pela área rural na região da antiga estrada Babilônia. “O serviço foi corrido, comecei no período da tarde e engatei até depois das 18 horas”, conta.

Há 15 dias passados, João diz que estava voltando pela estrada rural quando tomou um grande susto. “Vinha com meu carro quando vi que um vulto pulou de um lado da estrada para o outro, fiquei com medo, joguei luz alta, mas não vi nada”, lembra.

João tocou a viagem, queria chegar em casa, pois estava cansado. “Foi quando notei que o mesmo passou atrás do carro, rápido, pulando pela estrada e fazendo barulho no mato”, disse.

Ele andou mais pouco quando viu a sua frente novamente o vulto pulando. “Eu não sei o que era, mas parecia um lobo, pensei até no lobo-guará, mas eu vi na TV que ele não gosta de humanos e se esconde, achei que fosse uma onça parda”, afirmou.

O eletricista andou mais um pouco com o seu carro e neste momento viu que a criatura estava no meio de um campo perto de algumas vacas. “As vacas estavam no pasto, vi aquele cachorro gigante, os olhos vermelhos brilhavam, chegando perto delas, as vacas mugiram a começaram se deslocar do lugar, o bicho ia para cima e as vacas corriam, fiquei com muito medo!”, conta.

João disse que entrou no carro e resolveu ir embora, estava escuro. “Entrei na vicinal pavimentada e andei um quilômetro mais ou menos e aquele bicho esquisito apareceu lá no fundo da estrada novamente, andei muito, acelerei e cheguei até o Maria Stella Fagá, na cidade não vi mais nada”, recorda.

Questionamos João o porquê dele não ter fotografado a criatura com seu celular. “Ela estava longe no pasto, até tentei, mas a foto ficou péssima, era escuro, só tinha o luar, depois quando estava dirigindo era impossível fotografar algo que se movia tão rápido”, vaticina.

João afirma que voltou no lugar mais duas vezes para observar a criatura novamente, porém não achou mais nada.

Imagem de mohamed Hassan por Pixabay