Argentinos fazem fila por vacina de febre amarela antes de viajar ao Brasil

Centenas de pessoas voltaram neste sábado, 20, a formar longas filas em centros de saúde de Buenos Aires e nos arredores para se vacinar contra a febre amarela antes de viajar para o Brasil.

O Hospital Posadas, em Palomar, era um dos locais onde havia cerca de mil pessoas em busca da vacina.

No entanto, segundo informaram fontes do hospital à agência estatal “Télam”, só tomaram a vacina aproximadamente 300 pessoas.

Os cidadãos se queixam que muitos centros privados e públicos de Buenos Aires e outras localidades da província homônima não contam com doses.

Isto ocorre porque, nos últimos dias, centenas de pessoas foram em busca da vacina alertadas pelo surto de febre amarela que afeta o Brasil desde dezembro de 2016 e que se agravou em janeiro.

Concretamente, na sexta-feira (19), dezenas de viajantes compareceram a centros públicos da cidade para receber, por ordem de chegada, uma senha para tomar a vacina, já que a quantidade de dose aplicada diariamente é limitada.

Isto provocou a formação de longas filas nas quais os cidadãos tiveram que esperar entre três e seis horas para se imunizar, levando em conta que a vacina deve ser aplicada com pelo menos dez dias antes da viagem, segundo recomenda a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Várias pessoas consultadas pela Agência Efe em um dos centros públicos com mais vacinas (por volta 700) lamentaram a falta de habilitação de mais locais públicos, já que nos centros privados também a aplicam, mas cobram 500 pesos (US$ 26) e a dose não tem cobertura do seguro saúde.

Por causa das queixas pelas longas esperas, o Ministério de Saúde argentino informou neste sábado às linhas aéreas que operam para o Brasil que não é necessário que os viajantes apresentem um certificado de vacinação para entrar no país.

Fonte: G1